quinta-feira, 17 de março de 2011

Botando fogo na "corrida"

1977
Mario Andretti, John Player Team Lotus
Lotus 78, Ford Cosworth DFV 3.0 V8, Goodyear
VI Grande Prêmio do Brasil, Interlagos, São Paulo - Brasil

(Clique para ampliar)




- Lucius Domitius Ahenobarbus foi um bom mestre, não?

Ps. A sequencia fotógráfica da última foto é da grande Dulce Lee.

9 comentários:

Everson Abreu disse...

Primeiro modelo da Lotus com efeito-solo, não?

Anônimo disse...

Lucius Domitius Ahenobarbus teve como mãe Aemilia Lepida, então ele também era um... digamos,, Lépido!

Lucius foi um obssessivo "condutor de carruagens", um piloto em sua época - acredito que bigas, trigas ou quadrigas romanas. Além disso, foi avô paterno de NERO!

Logo seu neto teria herdado a paixão pelas 'corridas', acrescentando aí uma pitadinha de pirotecnia... será?

um abraço,
Renato Breder

Anônimo disse...

Essas fotos são históricas, pois a partir desse incêndio surgiu a oportunidade de Sid Mosca pintar a carenagem da Lotus de Andretti e ver seu trabalho elogiado por Colin Chapman.

Ron Groo disse...

Lindas fotos do fogo atrás do carro...

Tohmé disse...

Dulce Lee ainda vive, Rianov?

Anônimo disse...

Vive, Tohmé ;)

MGfotografias disse...

Eu vi alguma coisa há algum tempo atrás que nesta situação o carro do Andretti teve o extintor trocado por um reservatório extra de oxigênio para o motor na tentativa de aumentar a potência e que o resultado foi o carro ficar pegando fogo e somente ter as chamas extinguidas pelos extintores dos socorristas da pista.

Rodrigo Vidal disse...

Bela sequencia...
Não teria fotos da batida de Paolo Barila no GP da Belgica de 1990 ou da incrivel batida das 2 Tyrrell tambem em Spa só que em 1987?

wilson disse...

Sim, o primeiro modelo da Lotus com efeito solo e foi o Sid Mosca quem pintou a carenagem do carro... isso lhe valeu uma carta de agradecimento enviada por colin chapman, carta que o sid tem até hoje