segunda-feira, 16 de junho de 2008

Projetos não concretizados: Trussardi Megatron Benetton

Em mais uma tentativa frustrada, mostrarei hoje a vocês a tentativa da Trussardi de ingressar na F1.
Com John McDonald no comando, motores Megatron BMW, dinheiro japonês da Middlebrigde, patrocínio italiano da Trussardi e chassis Benetton, a Trussardi foi em busca de seu lugar na F1. O carro nada mais era que um Benetton 186 pintado nas devidas cores da empresa de moda italiana Trussardi, seus pilotos seriam Emanuelle Pirro e Aguri Suzuki. A equipe estava pronta para participar do GP da Itália de 87, mas um desentendimento da equipe com a FOCA forçaram a retirada de seus carros do GP, mais tarde a FIA descobriu que os carros eram, na verdade, uma copias das Benetton e vetaram de vez a equipe da categoria.



O carro estava pronto para participar do GP de Monza em 87



Uma Benetton daltônica

8 comentários:

Germano disse...

não seria uma benetton daltônica..seria P&B mesmo...hehehe

mas essa pintura lembra a da BAR em 1999...uma cor de cada lado do carro

Monocromático disse...

Posso postar isso no meu blog? Sim ou sim?

Jonny'O disse...

Esse chassi ainda tinha lenha pra queimar ,era muito rapido em 86 ,no minimo andaria perto da Arrows em 87.
Mas essa pintura é muito feia ,empata com a Larrousse-Ford LH94 de 1994 ,que em algumas provas correu com uma pintura muito parecida só que era branco com vermelho.

Fernando disse...

Ah, não vale!!! Qual a probabilidade de dois blogs, feitos por pessoas que se conhecem, fazer no mesmo dia um post idêntico sobre a.... TRUSSARDI????

Acho que vou jogar na loteria...

Rianov Albinov disse...

-Germano

e se a Trussardi colocasse aquele ziper dea BAR iria até combinar, pois a trussardi, alem de outras coisas, vende jeans

-Monocromático

Assim você me deixa sem opções. Sim!!

-Jonny'o

Tambem concordo, o carro não seria dos mais fracos não!!

-Fernando

hauhauahuahuahuahuha, coincidências do acaso!!!, tem que dividir o premio comigo hein!!!!

Germano disse...

mais uma coisa...
Esse Middlebridge International Racing é o mesmo grupo que comprou a Brabham?

Alberi disse...

estava desesperada, por que os 3 melhores motores (Ferrari, Renault e Ford) já tinham suas equipes, acredito que pelo regulamento de 1993 o melhor motor seria o Renault V10, depois o comprido, pesado e beberão Ferrari V12, e bem atrás o Ford V8 da Benetto ainda mais atrás o Honda-Mugen V10 e só em quinto o Mclaren Ford. Com a mudança do regulamento em 1994 permitindo o reabastecimento na minha opinião o melhor motor era o Ferrari com seus 800 cavalos e que no fim do ano atingiu 820, depois viria o Renault V10, com seus 780 cavalos e quase atingindo 800 no fim do ano. Mas a Ford veio um motor muito interessante:Zetec com 750 cavalos graças a pistões maiores e curso menor. Todos estes motores eram dados de graça a estas equipes de ponta. Já a Mclaren se optasse pela Ford ela não poderia usar o Zetec, que por contrato era exclusivo das Benetton, ela teria que usar os fracos Ford HB de 715 cavalos e ainda pagar por eles, outras opções...Ilmor V10 este motor estava próximo dos 700 cavalos, e era financiado pela Mercedes, ainda não estava no ponto a Mclaren pegou ele em 1996no seu quarto ano de desenvolvimento, o Mugen V10 (ex-honda) era pesado e dava só 690 Hps. Por isto ela optou pela Peugeot que ia dar o motor de graça e começou com 700 cavalos, no fim do ano já estava com 760, mas o motor era frágil, faltava torque, afinal estava na sua primeira temporada de F1, não tenho dúvida que o Lamborghini não iria fazer o fiasco da Peugeot, porque ele estaria na sua quinta temporada além disto haveria o apoio financeiro da Crysler, este motor seria gratuito caso a equipe fosse a Mclaren, outra vantagem a eletrônica era da própria TAG e o comando desmodrômico (acionamento pneumático das molas) também seria fornecido pela TAG, este motor tinha uns 765 cavalos, mas faltava torque a TAG, modificou um monte de coisas nele e ele ficou com 740 cavalos, pouco levando em consideração que era um V12, mas não tenho dúvida que eles chegariam aos 760 e até 770 cavalos com confiabilidade. Acredito que com o regulamento de 1994 permitindo o reabastecimento aqueles tanques enormes que os V12 usavam prejudicando a aerodinâmica, e sendo obrigada a colocar mais peso (30 litros a mais que o V8), agora os V12 não teria tanques tão grandes e só carregariam 15 litros a mais. Não tenho dúvida que este regulamento foi feito para ajudar a Ferrari, por isto que a Mclaren estava a fim de partir para um V12, mas o problema é que este motor só seria bom até 1994, por que em 1995 os V12 teriam que desaparecer com a redução de cilindrada de 3,5 para 3,0 litros. Por isto na minha opinião a Mclaren foi obrigada a fazer isto, mas o Mclaren-lamborghini seria competitivo em 1994 isto eu não tenho dúvida. O dinheiro e o tempo de desenvolvimento é que manda. Olha o motor Ford de F1 sempre fez bons motores, mas bastou a Ford tirar o seu apoio financeiro para a Crosworth para os motores ficarem ruins e isto que Max Mosley limitou os motores em 18 mil giros para tentar ajudar a Crosworth, senão os Mercedes e Ferrari já estaria com 22 mil giros.

Paulo disse...

Aí tem o dedo do Luciano Benetton, eles tinham em 1986 um carro muito bom em pistas de alta velocidade que usavam os BMW...a Benetton tinha o carro mais rápido de todos em pistas com muitas retas como Monza, Àustria, Alemanha...eles perderam as corridas por bobagem, como bateria que se soltou (3 abandonos por problema de bateria), rompimento de fixação do câmbio, etc...coisas bobas por falta de estrutura da Benetton que apesar de ter um motor BMW muito potente e um chassis ótimo, faltava técnicos e dinheiro...na Áustria e Alemanha os Benetton de corrida eram 1 segundo mais rápido que as Williams....Monza também eram os mais rápidos...em 1987 a Benetton com apoio da Ford (estava injetando muito dinheiro na equipe) melhorou muito em estrutura, mas o que não ajudava era o motor Ford turbo que era muito fraco e frágil...Luciano Benetton queria usar a nova estrutura da Benetton mais o chassis de 1986 mais o BMW e provar que eram capazes de vencer em Monza, usando um carro disfarçado, talvez a pista mais veloz da F1...mas deu tudo errado a Ford não gostou...e entendeu que a indireta era para ela...a Benetton não estava satisfeita com o motor Ford...a Ford ameaçou abandonar a Benetton em 1988...e aí tudo foi abandonado...inventaram que a FIA não aceitou, mas o carro era do ano passado, por isto da para usar....o Ford turbo foi abandonado em 1988, apesar do motor Ford turbo ser potencialmente o melhor motor naquele regulamento de 1988 com pressão de 2,5 bar, pois com baixa pressão as quebras deveriam acabar e aí o Ford levaria vantagem no peso do motor de apenas 125 kgs, contra 150 da concorrência...mas a Ford resolveu abandonar para sempre o turbo e preferiu usar o velho Ford aspirado...