quarta-feira, 11 de junho de 2008

Projetos não concretizados: Ligier JS29 Alfa Romeo

Este momento vivido pela Ligier foi um divisor de águas para a equipe. Depois de uma boa temporada de 86 a Ligier perderia um de seus pontos fortes, a Renault, que se despediria momentaneamente de F1. Este projeto com a Alfa Romeo já vinha se desenrolando em segredo já havia algum tempo, o motor da Alfa que a Ligier iria usar era um 4 cilindros turbo. Houveram diversas adaptações até chegarem em um ponto comum. O motor já teve um turbo, dois, já teve uma única saída de escape, já teve duas...
Só que o problema foi a qualidade do motor, os pilotos Piercarlo Ghinzani e René Arnoux testaram o carro nos testes de inverno de 86 e os tempos foram bem fracos. Começava ali, a triste decadência da Ligier.
René, como um homem de palavra forte dentro da Ligier "proibiu" a equipe de usar este propulsor na temporada de 87, desencadeando assim uma busca louca por motores para a próxima temporada.
A Ligier partiu para a Megatron, que já tinha deixado a Formula 1 (Megatron era quem preparava os motores Turbo da BMW), mas com tempo hábil pequeno, o carro não ficou pronto para a primeira etapa da temporada no Rio. Começaria a decadência da Ligier ate ser comprada em 97 por Prost e fechar de vez as portas em 02. A vitoria de Panis em Mônaco 96 foi apenas um suspiro da já "morta" Ligier.

Ficha técnica do Motor L4 turbo Alfa Romeo

Cilindrada: 1499.7 cc
Compressão: 7.5:1
Potencia: 900 hp @ 10500 rpm
Torque: 65 Kgm @ 8500 rpm
RPM máximo: 11500
Peso: 135 Kg com os turbos



Piercarlo Ghinzani em um teste com a Ligier-Alfa em 86



O motor 4 cilindros em linha bi-turbo que iria equipar a Ligier em 87

7 comentários:

Speeder_76 disse...

Vamos ser honestos: eles se safaram bem. A Alfa Romeo tinha sido um desastre na sua segunda passagem pela Formula 1, como equipa, e tinha-se retirado sem glória em 1985. Portanto, não fiquei surpreendido que esta experiência com os Alfa tinha sido muito má...

Speeder_76 disse...

Já agora, Rianiov: estou a comemorar 150 mil visitas. Passa por lá, que terei muito gosto em receber-te.


Um aberaço europeu
Speeder

Jonny'O disse...

A casa francesa virou de ponta cabeça em 87,que coisa.

Depois de uma logica e bem sucedida evolução em 85 e 86 era de se esperar algo melhor.

Talvez um dos problemas tenha sido o proprio Michel Tetu ,grande projetista dos tempos da Renault ,na Ligier acertou a casa assim que chegou para logo em seguida dar dois furos ,um com o JS29 que nunca teve a altura dos outros Megatron ,Brabham e Arrows .

Dizem que esse JS29 tinha um grande erro na suspensão dianteira ,o projeto visava um unico amortecedor ,coisa que nunca funcionou direito.

Mas a coisa não parou por aí,em 88 seu revolucionario Ligier-Judd que tinha motor entre o chassi e o tanque de combustivel foi o limite do patrão Guy Ligier ,a porta da casa foi mostrada a Tetu.

Na Alfa a situação era mais nebulosa ainda ,parece-me que o alto escalão da fabrica italiana dava tiros nos proprios pés tamanha a indecisão de onde jogar as fichas .Um motor novinho de F1 ,quatro cilindros em linha que logo é abandonado de seu desenvolvimento com a desculpa que foi por causa das declarações de Arnoux.
Depois aquele V10 3000cc de 88 feito para um prototipo procar que nunca viu um corrida de verdade pela frente ,logo um V10 ,que se enquadraria perfeitamente na nova F1.A seguir o projeto Indy ,um motor V8 que uns afirmam ser um Ferrari Indy reaproveitado e outra fonte afirma ser uma copia do Ilmor-Chevrolet ,uma historia que pegou muito mal.

Como se vê ,não podiamos esperar mesmo muita coisa da união entre a Ligier com a confusa Alfa Romeu dos anos 80.

Germano disse...

se não me engano...esses mesmos motores foram repassados pra Osella

Teddy disse...

A Alfa-Romeo já tinha feito outro motor turbo, quatro anos antes. Era um V8. Já imaginaram o diâmetro e curso dos oito cilindros, para " acomodarem " apenas 1500 cm³ ?

Marcos disse...

Quem é a Ligier? uma equipe que só fez fiasco com o motor Renault e também com o BMW...Na minha opinião o motor Alfa iria fracassar em 1987 porque a pressão do turbo de 4 bar é muito alta para um motor iniciante e quebraria muito, como aliás ocorreu com o novo Ford V6 turbo que foi muito mal na Benetton em1987...mas em 1988 o regulamento seria diferente com pressão de 2,5 bar uma pressão baixa, todos teriam que refazer seus motores aliviando suas peças internas e não tenho dúvida que os 2 motores turbos mais modernos no caso o Ford e o Alfa igualmente muito leve levariam vantagem...um Alfa de 4 cilindros pesava menos de 130 kgs contra 170 do BMW também de 4 cilindros...a Alfa conseguiu em 1983 fazer um V8 turbo com 640 cavalos que era leve menos de 130 kgs e razoável de potência, só beberrão, com certeza faria um bom motor, já que a pressão de 2,5 aceita bem o alumínio na cabeça dos pistões (se a pressão é alta é obrigado a ter cerâmica) por isto acredito que a Alfa teria um motor competitivo, mas não acredito na estrutura da equipe Ligier.

Brocken Jr. disse...

Há uma foto de um teste obscuríssimo de 1986, um carro todo vermelho da Alfa Romeo, sendo testada por RENÉ ARNOUX (o capacete branco entregava).

Notei que esse carro tinha um desenho bem diferente dos 184T e 185T usados no último ano da Alfa Romeo.

De acordo com as especificações técnicas, o tal motor 4L turbo que foi testado (e não aprovado) na Ligier em 87 foi testado PRIMEIRO nesse carro.

Alguém tem mais alguma informação a respeito desse teste?