terça-feira, 27 de maio de 2008

Projetos não concretizados: Ferrari na Indy

Darei continuação as tentativas de excursão de equipes europeias na América. Depois da Ligier JS21 e da Lotus 96T, apresentarei a vocês a Ferrari 637.
A historia começa em 1985, quando o Comendador Enzo Ferrari não aprovara a tentativa do até então presidente da FISA Jean-Marie Balestre de adotar motores V8 de 3,5 litros para todas as equipes. A formula 1 estava ficando desigual e equipes grandes contavam com grandes empresas de motores a partir de 80, e as pequenas equipes só estavam perdendo terreno e dinheiro. Como Enzo gosta de manter tradições ele não queria abandonar os V12. Ferrari vendo que os “turbo cars” estavam dominando a categoria, resolveu adotar o V6 turbo em seus carros, mas com a imposição de Balestre para motores V8, Enzo ameaçou se retirar da F1 e partir para a Cart, onde os custos eram bem menores do que os praticamente ilimitados da F1.
Ferrari busca ajuda de sua parceira Goodyear, que indica a Truesports (equipe campeã da Cart de 1986 e 87 com Bobby Rahal) e Gustav Brunner como projetista. Os rumores da saída da Ferrari da F1 só iam aumentando e ficou ainda pior quando o dono da Truesports, Jim Trueman, aparece em Maranello para mostrar um March da Indy a Ferrari, os pilotos de testes eram Rahal e Alboreto. A intenção era colocar Andréa de Cesaris para disputar as 500 milhas de Indianápolis em 87. Gustav Brunner projeta o 637 com motor v8 Turbo de 2,65 litros e pede a Rahal que o teste na pista de Fiorano, resultado? Fracasso! O carro era inguiável, sem comparações com os atuais que a Indy tinha. Junto com isso, Balestre acha melhor manter a Ferrari na F1, mantêm os motores Turbo e desiste da idéia de impor motores v8 para a categoria.
No final de 89, a Alfa Romeo, “irmã” da Ferrari anuncia que ira fornecer motores para a March em 90. A March Alfa consegue como melhor resultado um 5º lugar em Michigan com Roberto Guerrero, mas o que só foi descoberto dois anos depois, foi que o motor Alfa Romeo da March era nada mais, nada menos, que o motor Ferrari da 637 devidamente rebatizado!



Hoje o carro fica no museu da Ferrari...



... junto com outros bolides memoraveis da equipe



Ferrari já decalcada e pronta para correr

3 comentários:

Speeder_76 disse...

Bom saber que estás de volta. Vou tentar mandar as minhas fotos esquisitas, acho que vais gostar de algumas...


Uma Abraço europeu!


Speeder

Rafael disse...

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Ele voltou!!!!!!!1

Ele está entre nós!!!


Abraços

Jonny'O disse...

Opa!!
Gostei do blog!

Quanto ao motor ,ainda tenho umas duvidas se era realmente um motor Ferrari que a Alfa usou na Indycar ,a propria Chevrolet queimou a equipe Patrick por ter enviado um V8 americano para a fabrica da Alfa.

Outro fato é que o V8 Indy da Ferrari tinha os escapes no meio do V como eram seus V6 turbo na F1 de 81 a 84, enquanto o motor Alfa Indy desde sempre era igual aos demais V8 americanos .

Assim ,a Alfa pode até ter aproveitado o bloco Ferrari ,mas acredito que muita coisa foi alterada no projeto.