domingo, 13 de setembro de 2009

Ensaio Fotográfico: Jarosław Wierczuk, o segundo polonês

1995
Jarosław Wierczuk, Forti Corse
Forti FG01, Ford ED 3.0 V8, Goodyear
Teste, Autodromo dell'Umbria Magione, Itália



- Seguindo a incrível e numerosa participação dos poloneses na Fórmula 1, chegamos ao segundo piloto polaco a pilotar um bólido da categoria. O ano foi o de 1995, ou seja, 16 anos após de Andrzej Jaroszewicz dar as primeiras voltas em um carro de F-1, o ‘pra lá’ de obscuro Jarosław Wierczuk foi quem deu o segundo passo dos poloneses.

Wierczuk é oriundo de uma família rica e abastada de Varsóvia, seu pai sempre injetou muito dinheiro em sua carreira, desde a época do kart, quando começou em 1992. Depois do kart, foi correr em campeonatos de monopostos na Europa central, mas nada que o lançasse como menino prodígio.

No final de 1995, com$eguiu um te$te numa das piores equipes do campeonato, a Forti, e que estava perdendo seu principal patrocinador, a Parmalat. Dinheiro era tudo que eles precisavam, e para Wierczuk era o que não faltava.

Na época do teste, Wierczuk era apenas um garoto de 18 anos, andou muito mal na pista de Magione na Itália. Por mais dinheiro que traria para o time, ele teria que ter o mínimo de combatividade na categoria, coisa que não mostrou nesse teste. Também andaram na Forti: Andrea Montermini, Giovanni Lavaggi e Vittorio Zoboli.

Depois do fiasco, seguiu por categorias de base no automobilismo, mas sempre fazendo o papel de retardatário. Andou de F3 alemã, F3000 italiana, Fórmula Nippon e por último, fez 2 corridas na F3000 européia.

Nesses anos de 1995 até 2002, disputou aproximadamente 70 corridas, marcando a expressiva marca de 3 pontos durante toda (pós 95) sua carreira! E olha que todos estes pontos foram durante o mesmo campeonato: F3 alemã em 1998, quando correu pela TKF RacingCar, que utilizava os chassis Dallara F398. Neste ano fez 20 provas, marcou seus 3 pontos e se sagrou o 16º no campeonato. Realmente um feito, não acham?

Atualmente está cuidando de agronegócios da região de Strzelce Krajeńskie.

Agora, o terceiro polonês a andar de Fórmula 1 vocês sabem não é? (Risos)
Só não me venham com Robert Kubica (ainda)

Ah, parabéns Germano Caldeira, acertou na mosca que tinha sido o 2º polonês

6 comentários:

Germano disse...

o Wierczuk bateu ponto na Catherham Eurocup tbm

Germano disse...

terceiro polaco na F1...vejamos...

Seweryn Kubacki na McLaren em 2004


procede patrão?

Rianov Albinov disse...

Ele mesmo Germano, mas esse caso ta muito recente par o F1 nostalgia, quem sabe eu não reativo essa sequencia daqui a 15 anos?

Podem me cobrar ;)

Ever Rupel™ disse...

mto bom!!!

tem fotos do Andrea Montermini, Giovanni Lavaggi e Vittorio Zoboli nesse teste?

abs!!

Arthur disse...

Caraca.
Esse é bem obscuro mesmo...
Olha o naipe do cara.
Mesmo cheio de dinheiro,a Forti preferiu Lavaggi e Zoboli...

O Geraldo Magela devia guiar mais que esse cara.

Rianov,é completamente OFF,mas lá vai:
Tava vendo uns carros do início da década de 90,e reparei que o Lotus 109 levava um discreto patrocínio da cerveja Miller!!!

Veja só!
http://b.f1-facts.com/ul/a/4888


Abraços!!!

Hugo Becker disse...

Que beleza de matéria.

E para sorte dos ocidentais em geral (e para muita sorte de um ocidental em especial, Galvão Bueno), Robert Kubica não se chama nem Andrzej Jaroszewicz nem Jarosław Wierczuk, não?

Pior é que mesmo com um Robert Kubica de tão fácil pronúncia, o mala foi descobrir que o correto é falar "Kubitça", tipo Pizza, que se fala "pitça". Pelamor.

Abraço!