quarta-feira, 17 de março de 2010

Williams Red Five [1]

1987
Riccardo Patrese (Teo Fabi), Canon Williams Honda Team
Williams FW11B, Honda 1.5 V6T, Goodyear
LII Foster's Australian Grand Prix, Adelaide, Adelaide - Austrália

(Clique para ampliar)


- Red Five com outro dono

6 comentários:

Raphael Rocha disse...

Rianov, pq o 5 era red e o 6 era write? Dizem que o Mansell estaria sim liberado pra correr pelo Sid Watkins nesta ultima etapa de 87?

Janus disse...

O Mansell amarelou, aí não combinava mais com o vermelho ...

Fábio Mota disse...

Me intrometendo e respondendo ao Raphael Rocha.
O 5 era Red para diferenciar o Mansell do companheiro (acho q era o Patrese), reclamavam que os capacetes eram parecidos e dificeis de diferenciar. Aí o Mansell adotou o Red Five como marca pessoal.

marcelo ferreira alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marcelo ferreira alves disse...

Na minha opinião um dos carros mais bonitos da historia da F1.

Fabrício Martins Tavares disse...

O "red 5" do Mansell foi para diferenciar do "white 6" do Rosberg, companheiros de Williams em 1985. Ambos tinha o capacete parecido, com pintura predominante branca e azul. Além disto os números 5 e 6, na pintura dos carros acabam ficam parecidos. Aí, quando Mansell ganhou as etapas finais desta temporada, o Murray Walker, narrador da BBC inglesa, se referia a ele como o Red Five, que acabou sendo adotado pelo piloto nas vezes em que esteve na Williams. Engraçado é que na única chance que ele teria de pilotar a Williams com outra numeração, que seria em 93, após ele vencer o campeonato de 92, ele trocou a F-1 pela F-Indy. E foi para a Newmann Hass com o Red Five na carenagem.