quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Resposta do Desafio: Palmer em Spa

Vamos a resposta do desafio.

Minha dica era que a pista era a de Spa-Francorchamps, na Bélgica. Para os mais entendidos, o carro da Zakspeed com o numeral 30, e o capacete (modelo novo) do Dr. Jonathan Palmer eram bem visíveis. Até aí tudo ok, mas se alguém foi ver uma estatística da prova, toma um susto. O numeral 30 pertence a Christian Danner. Então, o que será que tem neste fato?

Temos que voltar para o início de junho, quando era para acontecer o GP da Bélgica de 1985.

1985 marcava a transição definitiva do GP da Bélgica para o mítico circuito de Spa-Francorchamps. Zolder cedia de vez lugar ao (nem tão) gigante “circuito” da região das Ardenas. Para agradar a todos, a administração do traçado de Spa fez uma reforma geral na pista, dando ênfase na troca do asfalto, para um mais abrasivo e que melhor casasse com os pneus dos carros na chuva. Tudo ótimo, mas ao invés de começar a obra 18, 12 meses antes da data do GP, os organizadores marcaram o início das obras para 60 dias antes da corrida.

Logo de cara, já tiveram que atrasar as obras devido a nevascas no local, com isso, a pista nova de SPA só foi entregue, pasmem, 10 dias antes do primeiro treino livre, ou seja, sem tem hábil para a “cura” do asfalto.

Logo no primeiro treino livre, espanto geral. Asfalto extremamente abrasivo gerava uma aderência única, impressionante. Para se ter uma idéia, os carros pulverizaram em mais de 10 segundos o recorde de melhor volta deste “cortado” Spa-Francorchamps. Absurdo.

Só que a Goodyear previa o pior. Com tanta aderência, os pneus não iam agüentar... Mas não foi só eles que reclamaram...

O treino foi se desenrolando e a pista começou a ficar estranha. No final do primeiro treino livre, o alerta. A pista estava se desfazendo.

Com o passar dos carros na pista durante o dia, a situação só foi piorando. Tanto, que durante a noite, um batalhão de operários foi chamado as pressas para tentar fazer remendos no asfalto, porem, tudo em vão.

No sábado, quando os carro começaram a andar, a situação mudou radicalmente. A pista que outrora era super aderente, com os remendos, ficou extremamente escorregadia. Os pilotos tinham que usar duas marchas mais baixas para fazer algumas curvas. Caos geral.

Todos, disse todos, os pilotos estavam reclamando. Daquele jeito não tinha condições de haver corrida, e foi o que aconteceu. Jean-Marie Balestre, presidente da FISA, que não se encontrava no circuito, deu sua palavra: “Não haverá corrida no domingo”.

De super aderência para o fiasco total. Conseguiram estragar a melhor pista do calendário, e ele estava a perigo de nunca mais voltar a sediar uma prova da categoria. Cogitou-se voltar a Zolder em setembro, data colocada pela FIA para a tentativa de um novo GP.

Depois do papelão, os organizadores conseguiram preparar a pista para os Fórmula 1 voltarem, e aí sim, conseguir disputar o GP, que, em tempo, foi vencido por Senna – 2ª vitória na F1.

Já a história da foto da Zakspeed é a seguinte: Em junho, o piloto do time era Jonathan Palmer, só que com um acidente sofrido nos 1000 km de Spa (prova que vitimou Stefan Bellof) nas vésperas do novo GP da Bélgica, Palmer ficou impossibilitado de correr o GP, com isso, Christian Danner, piloto da F3000, foi chamado como quebra galho da equipe.

Então, quando verem uma foto de Jonathan Palmer em Spa 1985, já sabem, foi no primeiro e frustrado GP da Bélgica.

Ps1. Isso que dar ficar fumando muito West, esfumaçou a pista toda.
Ps2. Parabéns ao Ituano voador, de novo acertando os desafios. Ê rapaz, tu sabe muito, hein!!!

(Clique para ampliar)




8 comentários:

Pedro disse...

Muito bom post Rianov...
Exelente a tirinha no final.
hahaha

Abraços!!!

Ituano Voador disse...

rsrsrs... fazia tempo que eu não dava uma dentro...
Camarada, essa sua coleção de Autosport dá pra 'alimentar' esses desafios até 2022, hein? rsrs
Abs.

Rianov Albinov disse...

Verdade Ituano, dá sim. hehehehe

Felipão disse...

uau..

excelente... eum mesmo não recordava desse episódio...

Anônimo disse...

Boa, Rianov!!

Eu também havia me esquecido desse episódio...

um abraço,
Renato

Verde disse...

Ah, e só um aperitivo pra terminar a historinha: a FISA não autorizou a pista de Spa para a Fórmula 1, mas a Fórmula 3000 Internacional correu lá naquele mesmo fim de semana, vitória de Emanuele Pirro se a memória não me trai.

O que não serve para a F1 serve pra sua prima pobre. Depois perguntam o porquê da Fórmula 3000 não ter dado certo.

Verde

(fazendo uma cameo appeareance na internet com o note da namorada)

Rianov Albinov disse...

Verdade Verde,
Correu sim, mas foi o Thackwell que levou, se não me engano.
Tenho que conferir...

Márcio Vilarinho Amaral disse...

Engraçado... Trulli e Kövalainen ganham mais uma chance, e um piloto como Tchackwell não (ele podia ter tido ao menos um ano completo). Fazer o quê, né?