sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O que você esta fazendo ai ?: Ayrton Senna na Brabham

Concluindo os testes de Ayrton Senna na pré F1 em 83, mostrarei seu último teste antes de assinar com a equipe Toleman. A equipe da vez foi a Brabham.
Depois de bater recordes de pista e andar mais rápido que os pilotos titulares nos 3 testes anteriores, Senna é convidado por Bernie Ecclestone, chefe da equipe, para dar algumas voltas em sua Brabham no circuito francês de Paul Ricard. O teste foi marcado pelo 1º encontro de 2 gênios brasileiros na F1: Nelson Piquet Sotto Maior e Ayrton Senna da Silva.
Piquet foi primeiro a andar no carro, dá algumas voltas, faz um acerto no carro e vira 1"05'90. A partir daí, o carro não mais seria modificado. Os pilotos convidados para testar a Brabham foram: Senna, claro, o colombiano Roberto Guerrero, o italiano Mauro Baldi e seu compatriota Pierluigi Martini. Com a saída de Riccardo Patrese da Brabham para a Alfa Romeo, um vaga de 2º piloto se abriria para guiar a Brabham ao lado do campeão Piquet. Bernie estava muito animado com o teste, e em tom de brincadeira disse que apostava que Senna seria mais rápido que ele:
"Tudo bem, aposto 100 mil dólares..." disse Piquet já mordido com as comparações.
Senna e Baldi viram praticamente o mesmo tempo, Guerrero e Martini vinham um pouco atrás

Paul Ricard 14 de Novembro de 83
1"05'90 Nelson Piquet Brabham BT52B BMW
1"07'80 Mauro Baldi Brabham BT52B BMW
1"07'90 Ayrton Senna Brabham BT52B BMW
1"08'60 Roberto Guerrero Brabham BT52B BMW
1"08'90 Pierluigi Martini Brabham BT52B BMW
"Claro que eu seria mais rápido. Eu tinha acabado de ser campeão mundial naquela Brabham. Se um cara que estava conhecendo o carro naquele dia conseguisse me superar, era hora de fazer a mala e ir embora para casa"disse Piquet
Senna:
"Meu pior teste, com certeza, foi com a Brabham em Ricard. Eu estava sentindo que podia fazer muito mais"
Dois problemas afetaram uma possível ida de Ayrton para a Brabham. O primeiro foi a intervenção da Parmalat, que queria um nome italiano vinculado com o seu carro para garantir maior atenção da imprensa italiana, e o segundo, partiu do próprio Piquet, que não queria Ayrton no time. Fato este que Nelson negou veentemente, mas Herbie Blash, Diretor da Brabham, Chris Witty, diretor da Toleman e Ayrton Senna disseram o contrario. Para Bernie, foi até mais que um veto:
"Nélson ficou muito chateado quando descobriu. Percebi isso porque ele, pela primeira vez, levou um assunto ao patrocinador. Disse a Parmalat que era estupidez ter dois brasileiros, pois eles nunca iriam se dar bem. E eu disse a Parmalat que Senna era mais veloz que Piquet e que era por isso que ele não o queria na equipe"
Resultado: A Brabham fica com um italiano para a temporada de 84, mas não foi nem Baldi e nem Martini, o escolhido foi Teo Fabi.
Com isso só sobrara a Toleman para Ayrton na temporada de 84.
E vocês, acham que a dupla brasileira em 84 na Brabham, daria certo?

P.S. Já vi e li varias discrepâncias entre os tempos deste teste, me parece que não houve uma cronometragem oficial. Esses tempos foram os mais sensatos que achei.


A convite de Ecclestone testa a Brabham em Paul Ricard



Ecclestone, Senna e Murray



Senna não se sentiu bem a vontade no carro ...



... especulações falam em sabotagem, mas não acredito. O carro era muito rápido, mas muito difícil de se guiar



Senna virou 1"07'90, 2 segundos mais lento que Piquet



Outros que testaram a Brabham neste dia foram, Mauro Baldi com o melhor tempo em 1"07'80 ...



... Roberto Guerrero com 1"08'60 ...



... e Pierluigi Martini com 1"08'90

12 comentários:

Germano disse...

O Piquet tinha apostado com o Ecclestone q o Senna não virava no mesmo segundo q ele. e outro detalhe, a posição pra pilotar do Brabham era extremamente desconfortável, segundo próprio Piquet, tinha-se q ficar meio q de lado pra dirigir

Arthur disse...

Também acho que não daria certo.
O Senna fez a melhor coisa mesmo,começou em uma equipe média como a Toleman,mostrou talento e subiu para a Lotus.
E o Piquet ainda foi campeão mais uma vez.
No final,foi bom para todos.Menos para a Brabham que não parou de cair após esse ano.

Sempre quis ver o Martini em uma grande equipe,mas pelo teste parece que não teria tanta sorte.

Valeu Rianov,seu blog está fantástico.

Speeder_76 disse...

Honestamente, Rianov, seria algo muito semelhante a aquilo que viste o ano passado na McLaren, com o novato a superar o consagrado. E provavelmente, o Tio Bernie iria favorecer o Ayrton, o que deixaria o Nelson fulo. E depois, se o Senna não fizesse algo incrível em 84, como cganhar uma corrida ou lutar pelo título, iriam queimá-lo...

E já agora, o Fabi em 84 corrida para a Formula 1 e para a Indy e então, quando os fins de semana coincidiam, vinha o irmão Corrado Fabi conduzir o seu carro!

Ron Groo disse...

As fotos são lindas e a história muito legal mas...
Piquet ter levado o assunto ao patrocinador com o argumento de que dois brasileiros juntos não iria dar certo é estranho. Ja que um tempo depois ele mesmo correu com Roberto Pupo Moreno pela Benetton, não foi?
E como saber se Senna era mais rapido que Piquet se aqueles eram os primeiros contatos com um F1?
Piquet já tinha alguns anos e era o atual campeão mundial.
Mas isto é em minha visão, não tenho dado nenhum sobre o assunto, apenas especulo sobre o que li aqui, que para mim também é inédito.
De qualquer forma e como disse. Bela história e grandes fotos.
Saudaçõaes!

Rianov Albinov disse...

Speeder,
Verdade, se Senna não fosse excepcional, iraiam queima-lo

Ron Groo,
"Piquet ter levado o assunto ao patrocinador com o argumento de que dois brasileiros juntos não iria dar certo é estranho", mas o fato realmente aconteceu, você encontra varios artigos na Internet que comprovam isto. E também esta no livro: Ayrton, o heroi revelado. Foi ai que eu tirei as frases de Piquet e Bernie

"E como saber se Senna era mais rapido que Piquet se aqueles eram os primeiros contatos com um F1?"
Ele já tinha feito 3 testes na F1. Na Williams bateu o recorde da pista para carros com motor aspirado. Na McLaren, foi mais rápido que Lauda e Watson no GP de Silverstone no mesmo ano. Na Toleman, bateu os recordes de Warwick, o piloto titular. Por isso, a espectativa de um bom teste na Brabham.

Abraços

Ituano Voador disse...

Rianov,
já li que o veto do Piquet teria sido motivado pela dificuldade de se manter dois carros competitivos por parte da Brabham; assim, melhor ter um carro muito competitivo com Piquet, sem a necessidade de se dividir atenções. E esse veto teria inspirado Senna na Lotus, no final de 85, quando ele vetou o Warwick com o mesmo argumento. Confere?

Rianov Albinov disse...

Ituano,
Só que esse "carro muito competitivo",não existiu, a partir de 84, a Brabham só foi descendo.

juka disse...

Se o Senna tivesse corrido pela brabahan em 84 teria sido pulverizado pelo Piquet e não teria chance de se tornar um dos maiores ídolos do esporte mundial. O Piquet vetou como todos vetaram(prost, senna, shummy) e não ciem a corrida de monaco pois lá além do talento contaram muito os pneus michelan do ano anterior (83) que eram muito superior em chuva, vide a performance de Stefan Bellof da tyrrel que venceria aprova se a mesma não fosse interrompida, pois Senna tinha danificado sua suspensão, mas isso é outra história.

Leonardo disse...

Detalhe...nesse dia Senna entrou no carro com os pneus já usados.

Anônimo disse...

Eita época de ouro , bem diferente dos dias de hoje .Com certeza o Piquet foi mais rápido , o carro era muito arisco e nervoso e o acerto o Piquet tinha na cabeça sabendo também sua melhor forma de pilotagem .
Creio que até o acidente de 1987 , quando notadamente o tri Campeão ficou visivelmente mais lento e medroso a briga iria ser muito boa com um Senna muito rápido mas cometendo muitos erros e um Piquet tão rápido quanto e cometendo menos erros .
O Piquet acabou indo para equipes de menor expressão e acabou desaparecendo .E o Senna foi se lapidando para se tornar o maior de todos os tempos .
Mas faço apenas um adendo .Prost ,Piquet ,Senna e Mansell em condições iguais creio que o mais louco e rápido era o Mansell , mas errava muito .O Piquet até o acidente , era quase perfeito , o Prost ídem e o Ayrton creio que seria o campeão pois seria rápido e já teria amadurecido , cometendo menos erros .
Tempos de ouro !

Raul disse...

Apesar de eu achar o Senna melhor que o Piquet (mas os 2 foram fantásticos) eu não tenho dúvida que tudo que o Piquet disse iria acontecer. Haveria briga...O Piquet na minha opinião estava certo em escolher pilotos fracos para correr na Brabham, a Brabham assim como a Lotus não tem estrutura para ter 2 pilotos fortes, isto que o Piquet fez aliás foi copiado pelo Senna e pelo Schumacher, a diferença é que o contrato do Senna e do Piquet, não obrigavam o piloto n2 ficar atrás, se pudesse eles poderiam ganhar sem restrição como ocorreu com o Patrese que ganhou em Monza do Piquet, já o Schumacher, no contrato estava escrito que o piloto seria punido caso não deixasse ele (o alemão) na frente, o Rubinho renunciou a várias vitórias. O Senna por ser inexperiente, não teria a mínima chance contra o Piquet em 1984, mas acredito que ele faria um monte de poles, mas quebraria muito nas corridas. Segundo o Émerson um piloto novo necessita de no mínimo 2 anos para conhecer pistas, acertos e ter controle emocional, se o Senna ficasse na Brabham só em 1986 poderia rivalizar com o Nélson. Quanto ao Stefan Bellof vencer em Mônaco, que coisa absurda? O carro dele tinha 50 kgs a menos que o regulamento mandava na época. Por isto a equipe foi desqualificada e a Tyrell foi expulsa da F1. Quanto aos pneus, a Toleman usava Pireli que não eram competitivos, tentou o Goodyear, mas a Goodyear demonstrou pouco interesse (na verdade eles não queriam fornecer pneus para uma equipe pequena e com um motor Hart com 150 cvs a menos que os melhores turbos), então eles foram bater a porta da Michelin que tinha na época os melhores pneus, só que eles também não queriam fornecer os pneus para a Toleman, aí a Toleman pediu para usar pneus usados ou sobrados da Brabham, Mclaren e Renault, consideradas equipes Tops, também sobras de pneus do estoque de 83 também seriam usados, tudo isto pagando bem pouco, mas o que Senna gostou é que os pneus apesar de "segunda linha" eram melhores que os da Goodyear e principalmente que os da Pirelli, o que ocorreu é que pneu de chuva a Michelin não tinha no seu estoque, pneus usados ou de 1983 por isto a Michelin foi obrigada a dar para Toleman os mesmos pneus que os da Brabham, Mclaren e Renault. Quem me contou esta estória foi um mecânico da Toleman do qual fiquei amigo ao estudar na Ingaterra em 1984. Não adianta pneu é a coisa que mais influencia na F1, olha o Schumacher na Ferrari, quando a Brigestone fez um acordo em 2000 que só teria um carro de ponta, foi aquele massacre, só deu Ferrari, ainda bem que a FIA interviu obrigando a usar o mesmo jogo de pneus a partir de 2005, só que aí inverteu todos que tinham Michelin, levaram vantagem...acredito que em Monâco 1984 os pneus novos da Michelin desequilibraram por que chovendo os 150 cavalos a menos não são tão determinantes. Além disto os Toleman iam para a pista com 220 litros de gasolina contra 250 dos outros turbos. Resumo o baixo peso do Toleman, o bom chassis do Rory, a habilidade do Senna e principalmente os pneus Michelin fizeram ele ter uma boa corrida.

Anônimo disse...

Excelente tópico . todos comentários muito interessantes .

eu achava que piquet tinha sabotado o carro por causa da aposta . afinal era 100 mil dollares é muito dinheiro .
e orgulho tb .

e ele não queria correr o risco .

Piquet sempre correu pelo dinheiro e sempre disse isso .


fazendo referência ao blues que tem os 3 reis .

o brasil tem no automobilismo tem os 3 reis tb .

-O Rato 'o precursor' . o estrategista .
-Piquet 'o mecânico' . dos 3 o melhor ajustador de carros. -Senna 'o Gênio' . Uma espécie de vivaldi das pistas .

mais a história dos 3 é fantástica .

só lamento que pique ataque tanto o senna que não pode mais se defender.