quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Loucuras humor e acasos: Os Chevettes e o GP Brasil

Olá pessoal, quero a ajuda de vocês aqui!
Sei pouco do fato, mas o pessoal das antigas deve se lembrar do ocorrido. A data, pelo que pesquisei varia um pouco, mas todas convergem para meados dos anos 70.
A estória é a seguinte: A GM estava patrocinando o GP Brasil, acredito eu de 76, e simultaneamente iria lançar seu novo "esportivo", o Chevette Grand Prix. Para divulgação, a GM usou o carro como chamariz para o GP Brasil, usando-o em diversas propagandas, tanto no rádio quanto na televisão, ele era denominado como o "carro oficial do Grande Prêmio Brasil de Formula 1". Para cada piloto, estava reservado um desses Chevettes, para que eles se locomoverem do Hotel até o circuito durante o GP. Reza a lenda que alguns pilotos, para não falar quase todos, dirigiram esses Chevettes como doidos, subindo nas calçadas, acelerando no máximo e batendo "rachas" entre si, ou seja, botando pra quebrar em cima dos Chevetinhos.
Parece também, que teve um caso de um piloto que não devolveu o carro, o que deixou os representantes da GM furiosos, verdade?, lenda?, alguém sabe dos fatos?
Futucando na Internet, achei algumas coisas interessantes.

Comentário feito por Clovis Barros ao Blog do Livio Oricchio

"Um dia para não esquecer:
Fui um apaixonado pela F1, quando a F1 era F1 na década de 70. Era uma linda manhã de quinta -feira se não me engano o ano era 78. Peguei meu fusquinha branco e fui para interlagos assistir ao treino não oficial do GP Brasil, logo bem perto de interlgos, lá pros lados da Avon o trânsito já estava um caos, carros subiam calçadas, seguiam na contra-mão, um tremendo frenesi para chegar no autódromo, tentei ultrapassar alguns carros à minha frente, o motorista ao lado me disse algo que não entendi direito, era um chevette GP prata aquilo me soou como se fora um xingamento, tornei a olhar o passageiro do chevette e para a minha surpresa não era outro senão o Mário Andretti desesperado no trânsito caótico de SP. Confesso que torci para tirar um racha com eles é pena que a avenida não estava vazia"

Flávio Gomes em uma postagem sua em Fevereiro de 06:
"Esse GP de 76, salvo engano (e pelo outdoor da GM fazendo propaganda do Chevette), foi aquele que todos os pilotos ganharam um Chevrolet Chevette GP para ficar durante a semana em SP. Diz a lenda que um deles não foi devolvido. O piloto teria detonado a caranga num poste."

Zé Carlos em uma postagem na comunidade F1 Brasil no Orkut:
"não lembrava o ano, mas vi todos eles enfileirados em frente ao hotel Hilton, na Av. Ipiranga, hotel oficial na época."

(...)

" acho que foi o Ronnie Peterson que entregou o chevette dele todo lesado, batido e com o motor ferrado"

Agora pergunto, e você, o que sabe desta estória? foi em que ano? os pilotos barbarizaram mesmo seus Chevettes? Alguém bateu o carro?



Aqui é Clay Regazzoni em Interlagos em 76. Ao fundo pode se notar um Chevette GP



Será que 0 pessoal 'molestou' o Chevette?

Outro fato curioso é que, no mesmo ano de 76, o cineasta francês Claude Lelouch, fez um curta em Paris retratando a cidade luz ao amanhecer do verão. Lelouch prendeu uma camera em um carro, e chamou um piloto para andar o mais rápido possível pelas ruas de Paris. Quando o curta foi ao ar, a policia prendeu o cineasta a fim dele entregar quem tinha dirigido o carro.
Lelouch não disse, mas boatos ligam a 2 pilotos: Jacques Laffite ou Jacky Ickx, provavelmente um dos 2 dirigiu a Ferrari 275GTB (Mercedez 450SEL?).
Alguém sabe disto também?


C'était un rendez-vouz de Claude Lelouch

6 comentários:

Germano disse...

esse filme tem um porém...foi uma Mercedes 450SEL com câmbio automático de três marchas, sendo dublado por uma Ferrari 275GTB com câmbio de 5 marchas e com alguns efeitos pra parecer q estavam em alta velocidade (mais de 200), quando estavam andando por uns 150...

Anônimo disse...

Ah!, e o piloto é o próprio Lelouch!

Rodrigo Mattar disse...

Rianov, realmente o ocorrido dos Chevettinhos foi em 1976, por ocasião do GP do Brasil, cada um dos 22 pilotos inscritos recebeu um Chevette GP em comodato e é verdade que um foi totalmente destruído. Por quem, é que eu não sei.
Abraços, camarada!

Speeder_76 disse...

Sobre o primeiro caso, digo-te que não sei muito, mas conheço a "estória".

Quanto ao segundo caso... a coisa pia mais fino! De facto, o motor que ouves é de Ferrari, mas o carro é um Mercedes 450SL do próprio Claude Lelouch. Nunca se soube quem era o piloto, e como dizes, podia ser o Laffite ou o Ickx (já ouvi outros nomes, como o Patrick Depailler, Didier Pironi e Jean-Pierre Jabouille), e mesmo que o Lelouch tenha dito que era ele mesmo que dirigia o carro, ainda há muita gente que não acredita nisso. Enfim, uma lenda urbana demora sempre a morrer...


E já agora, essa filmagem tornou-se videoclip de uma das musicas da banda escocesa Snow Patrol. Eis o link:

http://www.youtube.com/watch?v=ybr8Z6pzVs0

Marcelo Torrão Ramaciotti disse...

Já ouvi dizer que era o Jean Alesi que guiou esse carro, apesar de achar que a época era outra.
E realmente o som que escutamos não é o real.

L-A. Pandini disse...

Rianov, cheguei atrasado mas acho que ainda dá para acrescentar algo.

O Chevette GP foi o "carro oficial" do GP do Brasil em 1976 e 1977. No de 1978 - último ano em que foi fabricado - eu não sei.

Desconheço as histórias de destruição dos carrinhos. Sei apenas de uma que saiu na Auto Esporte em 1977: James Hunt pegou o seu para fazer cavalos-de-pau e outras estripulias em uma praia que julgava deserta, mas apareceu um policial... Deu apenas em discussão, nada mais.

Em 1974, a Chrysler emprestou Dodge 1800 (que no ano seguinte seria rebatizado de "Polara") para pilotos e chefes de equipe. E muitos, em vez de devolver os carros, simplesmente estacionaram em qualquer lugar de SP e voltaram para seus países...

Abraços! (LAP)